Kawasaki Vulcan deve ganhar motor da Ninja, diz revista japonesa – Motos

Kawasaki Vulcan Divulgação Kawasaki Vulcan é, hoje, uma das cruisers mais em conta, por R$ 33.990 na versão S Café

A Kawasaki Vulcan é uma das poucas opções do segmento custom no Brasil, fora do universo Harley-Davidson. Entretanto, o modelo é oferecido apenas com um motor bicilíndrico de 649 cc, que para a categoria, fica um pouco para trás. Só que, agora, o modelo deve ganhar o novo motor das Ninja 1000, para ficar parelha com as Triumph Rocket 3 R (167 cv) e a Ducati Diavel S (152 cv), segundo apurou a revista japonesa Young Machine.

LEIA MAIS: Prestes a vir ao Brasil, Triumph Rocket 3 acelera tanto quanto um F1 em vídeo

Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação Kawasaki Vulcan. Foto: Divulgação

Um dos segredos da elasticidade desse motor é a adoção de compressor mecânico, fazendo com o que o quatro cilindros em linha de 998 cc consiga ter variadas entregas de potência e torque, dependendo da aplicação. Em uma estradeira, por exemplo, é preferível torque em baixas rotações do que pico de potência. Logo, mesmo que nas carenadas esportivas ele chega a desenvolver 243 cv na mais agressiva Ninja H2, cerca de 180 cv já seriam o suficiente para colocar esta nova Kawasaki Vulcan  ‘H2’ dentro do nicho de mercado das Power Cruisers .

LEIA MAIS: Motos para viajar: Veja seleção de 5 estradeiras entre R$ 20 mil e R$ 40 mil

Ainda nada se fala sobre outras mudanças

Kawasaki Divulgação Suas linhas fluidas conferem aspecto retrô, que remetem às Café Racers dos anos 60

Com aspecto elegante e ao mesmo tempo agressivo, desde 2018 traz um indicador de marchas, além do conta-giros analógico e display em LCD com velocímetro digital, indicador de combustível, relógio e hodômetro. Ela se move com o motor bicilíndrico paralelo de 649 cc com 61 cv e 6,4 kgfm, e além da caixa de 6 marchas com transmissão por corrente, traz o catalisador mais recente da marca, que atende aos requisitos do PROMOT 4 — regulamentação que define os níveis máximos de emissão de gases. É justamente isso que a coloca apenas como uma opção de custo-benefício, e não de grande rival das chamadas Power Cruisers.

LEIA MAIS: Entre no espírito custom com a Kawasaki Vulcan S, de estilo retrô

Para garantir a segurança, a Kawasaki Vulcan conta com suspensão dianteira com garfos telescópicos e traseira com monochoque lateral. Quanto aos freios, além de ABS, reduz a velocidade com disco de 300 mm, que traz pinça de pistão duplo no freio dianteiro e disco de 250 mm com pinça de pistão único na roda traseira. É claro que, com uma nova motorização mais potente, como a que foi apurada pelos japoneses, essas especificações deverão ser completamente revistas na moto cruiser .

FonteX: carros.ig.com.br/motos/2020-05-28/kawasaki-vulcan-deve-ganhar-motor-da-esportiva-ninja-diz-revista-japonesa.html