SENTENÇA NA ÍNTEGRA: empresa que publicou pesquisa fraudulenta para prefeito de Vilhena é multada em mais de R$ 53 mil

Indícios de fraude já haviam sido notados pela Justiça Eleitoral

Em decisão datada desta sexta-feira, 03, o juiz eleitoral de Vilhena, Vinícius Bovo de Albuquerque Cabral aplicou uma multa de mais de R$ 53 mil contra a empresa Franco & Rodrigues Comunicação Social e Empreendimentos Ltda, responsável por uma pesquisa de intenção de votos fraudulenta para prefeito de Vilhena.

A sondagem, que mostrava o então candidato Coronel Rildo (Podemos) tecnicamente empatado com o prefeito Eduardo Japonês (PV) foi desmentida pelo resultado das urnas. Rildo acabou em terceiro, atrás da ex-prefeita Rosani Donadon (PSC). Japonês foi reeleito.

Antes mesmo de os resultados serem divulgados no dia da votação, a Justiça Eleitoral já havia percebido indícios de fraudes na sondagem. Diligências feitas nos endereços apontados nos formulários não encontraram os supostos entrevistados.A empresa condenada, que pode recorrer da decisão, também será alvo de procedimento criminal a ser instaurado pela Polícia Federal.

Rildo, que já havia acatado a determinação judicial para excluir a publicação da pesquisa que havia feito nas redes sociais, não sofreu punição. O Facebook, igualmente cionado na mesma ação, também escapou de qualquer penalidade.

A mesma empresa, cujo nome fantasia é Jornal Correio Continental, publicou outra pesquisa, dias depois, e colocou Rosani na frente de Japonês, errando o placar final. Na ocasião, o FOLHA DO SUL ON LINE anunciou (e cumpriu) a promessa de mostrar quais institutos haviam acertado e errado as previsões em Vilhena (VEJA AQUI e AQUI).

CLIQUE AQUI e leia sentença na íntegra.
Fonte: www.folhadosulonline.com.br