Cabeleireira de Rondônia que não conseguiu participar de “motociata” pró-Bolsonaro diz que presidente é “enviado de Deus”

 
Organizadores e Governo de São Paulo revelam números discrepantes
 
A "motociata" realizada ontem em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em São Paulo rendeu manchetes nos principais veículos de comunicação do país.
 
Enquanto os organizadores falavam em 500 mil veículos no ato político, e a deputada federal Carla Zambelli (PSL) publicou nas redes sociais que o número de motos era superior a 1 milhão, o Governo de São Paulo disse que eram 12 mil.
 
Entre os que foram participar do evento estava a cabeleireira Cris Souza, 37, de Rondônia, que tentou alugar uma moto para participar da manifestação, mas segundo ela, nenhuma locadora tinha motos disponíveis.
 
Mesmo sem a moto, que ficou em Rondônia, ela e o marido, Roberto Garcia, foram de carro apoiar a manifestação e ver de pertinho o "mito”.
 
"É a segunda vez que eu vejo ele, ele é maravilhoso, muito humilde. Eu toquei nele! Eu admiro muito esse homem, sinto que ele é enviado por Deus para ajudar a gente a sair dessa crise. Imagina se ele manda fechar tudo, eu como cabeleireira iria morrer de fome", diz.
 
"Amo moto, a gente também é motoqueiro, tentamos alugar uma para participar da motociata mas não tinha mais", contou.
 
 
 

Fonte: FOLHADOSULONLINE.COM.BR