Legítima defesa: em cidade da região, júri popular inocenta mulher de 33 anos que matou idoso ao atear fogo corpo dele

 
Mulher de 33 anos foi representada pela Defensoria Pública
 
Aconteceu ontem (terça-feira, 20) no plenário do Fórum da Comarca de Juína, cidade de Mato Grosso a 240 km de Vilhena, o júri popular de Josiane Lima Dos Santos, conhecida como “Aninha”, acusada de ter ateado fogo em Ozeias Vicente, de 60 anos, nas proximidades do terminal rodoviário, em junho de 2019 (RELEMBRE O CASO).
 
Segundo a denúncia, Josiane não quis dividir sua droga (entorpecente) com a vítima, e por essa razão jogou álcool no corpo de Ozeias e em seguida ateou fogo com um isqueiro. As chamas atingiram 47% do corpo do idoso, causando queimaduras de 1º, 2º e 3º graus, que não resistiu e morreu.
 
Diante dos acontecimentos Josiane foi detida por força de um mandado de prisão preventiva e, ontem, se sentou no banco dos réus, onde respondeu pelo crime.
 
O júri foi presidido pelo juiz criminal da comarca de Juína, Vagner Dupim Dias; o MPE, foi representado pelo promotor de justiça criminal Danilo Preti Vieira, ficando a defesa da acusada a cargo da Defensoria Pública.
 
Após a leitura do processo, acusação e defesa usaram o plenário do júri para os debates, a fim de convencer o Conselho de Sentença a votar de acordo com as teses apresentadas, sendo que, no final os sete jurados reconheceram a materialidade e autoria delitiva, mas, por maioria de votos, responderam “sim” ao quesito de legitima defesa e absolveram a acusada Josiane Lima Dos Santos, do crime, que logo após a leitura da sentença recebeu o alvará de soltura.
 
 

Fonte: FOLHADOSULONLINE.COM.BR