NEGACIONISMO: ‘Perdi amizades por ter me vacinado’: relatos de brasileiros na Flórida

0px;” />   “Felizmente, as ambulâncias são muito bem equipadas, quase UTIs. A má notícia é que aqui não tem uma estrutura semelhante ao Samu do Brasil, que é gratuito. Nos Estados Unidos, a pessoa paga até mesmo pelo transporte hospitalar de urgência. Mesmo se tiver seguro”, diz o dentista.

   

"Recusar vacina é uma atitude muito egoísta"

 

 

A conta hospitalar também não é das mais baratas – com ou sem o amparo dos convênios médicos.

“Numa emergência, a pessoa não deixa de ser socorrida, os hospitais são obrigados a atender. Mas a conta chega depois. Dependendo do período em que um paciente fica na UTI, por exemplo, as despesas podem levá-lo à ruína. Muitas contas hospitalares são impagáveis”, relata o gaúcho.

      Diante do alto custo da hospitalização, empresas americanas já impõem aumentos robustos nos seguros de saúde para não vacinados. É o caso da Delta Airlines. Na quarta-feira (25/08), a companhia aérea comunicou aos funcionários que aumentará as mensalidades do benefício em US$ 200 a partir de 1º de novembro para aqueles que não tomarem as injeções. “Acho justo.

Recusar a vacina é uma atitude muito egoísta”, opina Paulo.      <img class="alignleft size-medium wp-image-49120" src="https

Fonte: RONDONIAOVIVO.COM