REVOLTA: Após atear fogo em lanchonete homem é espancado e tem moto destruída

Na noite do último domingo (26), um comerciante ficou ferido após sua lanchonete ser alvo de um incêndio criminoso na região central de Vilhena. O estebelecimento atacado fica na praça Ângelo Spadari, em frente a Igreja Matriz de Nossa Senhora Auxiliadora.   Segundo testemunhas, um homem embriagado, que havia sido expulso de uma pizzaria próxima por estar xingando funcionários e clientes atravessou a avenida Major Amarante e foi até a lanchonete.

  Ali, ele pediu um lanche e um refrigerante, mas logo em seguida passou a ofender o comerciante, queixando-se de que seu pedido estava demorando para ser entregue.     Tentando evitar problemas diante da agressividade do acusado, o dono da lanchonete cancelou o lanche e cobrou apenas a bebida.

Mesmo assim, o cliente continuou agredindo verbalmente os funcionários do estabelecimento.   Pouco depois de sair do local esbravejando, o homem retornou à praça com sua moto, foi até a lanchonete, jogou gasolina no local e ateou fogo. As pessoas que estavam ali correram, mas um homem identificado apenas como "Marcos" foi atingido pelas chamas e sofreu queimaduras nas pernas.   Frequentadores da praça dominaram o autor do atentado e destruíram a moto dele.

Vídeos compartilhados no WhatsApp mostram uma testemunha desferindo um soco no rosto do acusado, quando ele já estava sentado com o capacete entre as pernas.   Viaturas da Polícia Militar estiveram no local e prenderam o acusado. Ele disse ter desferido o atentado após esperar mais de 20 minutos para receber o lanche que havia pedido. O homem ferido no ataque foi levado para a UPA, onde ficou internado.

Sugestão de Pauta Direito ao esquecimento Reportar Erro

Você acredita que candidatos evangélicos são realmente ungidos de Deus ou são “ungidos” do pastor?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

Aos leitores, ler com atenção

Este site acompanha casos policiais.

Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

Fonte: RONDONIAOVIVO.COM