Guia Corinthians: veja a análise dos adversários, onde assistir e tudo sobre o Timão na Libertadores

Fábio Lázaro Guia Corinthians: veja a análise dos adversários, onde assistir e tudo sobre o Timão na Libertadores

Em busca do seu segundo título da Libertadores, 10 anos após a conquista inédita em 2012, o Corinthians inicia a sua trajetória na principal competição entre clubes da América do Sul nesta terça-feira (5), contra o Always Ready, da Bolívia às 21h30, no estádio Hernado Siles, em La Paz, capital boliviana, que fica localizada 3.600 metros acima do nível do mar.

Para que você, torcedor corintiano, saiba tudo o que precisa em relação ao sonho do bicampeonato continental do Timão, a reportagem do LANCE! produziu um guia especial com assuntos que só competem a disputa da Libertadores pelo clube do Parque São Jorge.
E MAIS:

.> TABELA – Confira e simule os jogos da fase de grupos da Libertadores
> GALERIA – Relembra as estreias do Corinthians nas Copas Libertadores

GRUPO DO CORINTHIANS NA LIBERTADORES

O sorteio da Copa Libertadores realizado no último dia 26 de março, na cidade de Luque, no Paraguai, onde a Conmebol fica sediada, colocou o Timão, que estava no pote dois, no grupo E, frente a frente com o Boca Júniors, da Argentina, que era o cabeça de chave, Deportivo Cali, da Colômbia, e Always Ready, da Bolívia.

A estreia corintiana acontecerá no dia 5 de abril, às 21h30, contra o Always Ready

Depois, o Timão fará duas partidas consecutivas em casa, contra Deportivo Cali, no dia 13 de abril, às 21h, e Boca Júniors, no dia 26 de abril, às 21h30.

Após a sequência em casa, o Time do Povo terá dois compromissos em sequência como visitante, indo até a Colômbia, encarar o Deportivo Calim no dia 4 de maio, às 21h, e depois enfrentando o Boca, no La Bombonera, em Buenos Aires, no dia 17 de maio, às 21h30.

O encerramento corintiano na fase de grupos da Libertadores acontecerá no dia 26 de maio, às 21h, contra o Always Ready, mesmo adversário da estreia, em São Paulo.

Elenco do Corinthians teve nove dias de preparação para a estreia da Libertadores (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)

CONHECENDO OS ADVERSÁRIOS

ALWAYS READ (BOLÍVIA)

Fundação: 13 de abril de 1933
​Estádio: Estádio Municial de El Alto / Hernando Siles
Títulos nacionais: 3 (1951, 1957 e 2021, torneio apertura)
Títulos da Libertadores: 0
Quantas vezes disputou a Libertadores: 2 (1968 e 2021)
Melhor campanha: 2021 (eliminado na fase de grupos na lanterna do grupo, mas com duas vitórias)
Classificado como: vice-campeão boliviano em 2021

O Always Ready não chega em boa fase para a disputa da Copa Libertadores da América mesmo estando na competição pelo segundo ano consecutivo, das três vezes que disputou o torneio na história.

Com apenas duas vitórias na temporada e a 10ª colocação do Torneio Apertura, os Albirojos já trocaram de técnico nos primeiros três meses de temporada.

O trabalho de preparação havia sido feito por Sebástian ‘El Loco’ Abreu, ex-atacante conhecido do futebol brasileiro, por sua passagem de sucesso pelo Botafogo. Foi o terceiro trabalho de ‘El Loco’ como treinador, mas novamente o profissional ficou na frustração, sendo dispensado após quatro partidas, e em uma situação delicada com o presidente do Always Ready, por ter deixado a Bolívia e ido para o Uruguai, alegando questões particiulares, às vésperas de um jogo contra o Bolivar, pelo Campeonato Boliviano.

O boliviano Eduardo Villegas, que foi campeão nacional com o Always em 2020, retornou ao clube na tentativa de ajustá-lo na temporada.

O elenco atual está bastante modificado em relação a última temporada, já que a diretoria banda roja apostou em seis reforços para esse ano: o zagueiro venezuelano Adrián Martinez, convocado frequentemente pela sua seleção, e que estava no Deportivo La Guaira, da Venezuela; o meia paraguaio Gustavo Cristaldo, artilheiro do Always até aqui na temporada, com dois gols, que estava no Independiente Petrolero, atual campeão boliviano; o também meio-campista Jonathan Borja, equatoriano, que estava no El Nacional, do Equador; e os atacantes Marcos Riquelme, argentino que estava no Sporting Cristal, do Peru, e os colombianos Gustavo Torres, que estava no América de Cali, e Mauricio Cortés, que estava no Quindío, ambas equipes da Colômbia.

Dois nomes conhecidos do futebol brasileiro ficaram perto de reforçaram o Ready na temporada: o atacante argentino Jonathan Cristaldo, que se destacou pelo Palmeiras entre 2014 e 2015, chegou até mesmo ser anunciado, mas por divergências com a diretoria não formalizou a sua ida ao clube boliviano; outro ex-palmeirense, mas que também defendeu outros clubes, como São Paulo e Vasco da Gama, o atacante Kelvin chegou a ficar perto de ser reforço dos Albirojos, mas a negociação não teve desfecho positivo.

Ainda assim, o destaque do Always Ready, principalmente para os corintianos, é o atacante Juan Carlos Arce, que passou pelo Timão em 2007 sem deixar saudades, já que fez parte do plantel do único rebaixamento do Corinthians na história.

Arce chegou ao clube albirojo no decorrer da temporada passada e acertou a sua permanência para este ano.

Ainda que não seja lembrado com muito carinho no Brasil, o atacante é um dos grandes nomes do futebol boliviano, tendo disputado cinco das últimas seis Copas América.

– Contente, porque quando topei jogar no Corinthians foi algo muito lindo, uma sensação muito importante na minha vida futebolística e na minha carreira como jogador até agora. Estou muito feliz em saber que vou enfrentar (o Corinthians) em um torneio tão importante como este, a Libertadores, sabendo que Corinthians hoje está onde está porque tem uma grande torcida, é um grande clube, e um dos clubes mais importantes do mundo. Estou muito contente e com muita gana de poder enfrenta-lo – disse Juan Arce com exclusividade ao LANCE!.

Ex-Corinthians, Arce em ação pelo Always Ready, da Bolívia (Foto: Repdrodução/Twitter)

– Always Ready chega com 8 pontos no torneio boliviano em 7 jogos disputados. O elenco foi promovido ao futebol profissional há 3 anos após 24 anos na divisão de acesso. O campeão 2020 do futebol boliviano se consagrou com um elenco renovado com muita experiência e juventude. Neste 2022, o elenco Always Ready trocou quase 70% de seus jogadores, fazendo uma renovação após ter se classificado na Copa Libertadores – conta Jhulisa Mezza, repórter que acompanha o Always Ready pelo Multimedia Deportes, da Bolívia.

Time base
(4-4-2): Arnaldo Giménez; Marc Enoumba, Alex Rambal, Nelson Cavrera e Jorge Flores; Rodrigo Ramallo, Elkin Blanco, Sergio Adrián e Gustavo Cristaldo; Juan Arce e Marcos Riquelme. Técnico: Eduardo Villegas

DEPORTIVO CALI

Fundação: 23 de novembro de 1912
​Estádio: Colosso de Palmaseca
Títulos nacionais: 10 (1965, 1967, 1969, 1970, 1974, 1996, 1998, 2015 finalización, 2015 apertura, 2021 finalización)
Títulos da Libertadores: 0
Quantas vezes disputou a Libertadores: 20
Melhor campanha na Libertadores: vice-campeão (1978 e 1999)
Classificado como: campeão do Torneio Finalización em 2021

No banco de reservas, Dudamel tem uma carreira de altos e baixos como técnico, tendo passado pela seleção venezuelana de base e principal, o que credenciou a ser contratado pelo Atlético-MG, no início de 2020, mas permanecendo apenas um mês e sendo demitido após duas eliminações precoces, para o Unión, da Argentina, na Copa Sul-Americana, e para o Afogados-PE, pela primeira fase da Copa do Brasil.

Após deixar o Galo, o treinador venezuelano dirigiu a Universidad de Chile por duas temporadas antes de voltar ao Deportivo Cali duas décadas depois, agora em nova função.

Com apenas três meses de trabalho, Dudamel levou o Deportivo Cali ao título do Torneio Finalización, espécie de segundo turno do campeonato colombiano, mas que é contabilizado como título – no país, há dois campeonatos nacionais por anos, o Apertura e o Finalización.

O Deportivo Cali não era campeão nacional há seis anos, e não conquistava especificamente o Finalización há 16 temporadas.

O título do Finalización pelo Deportivo Cali foi o primeiro de Dudamel como treinador (Foto: Divulgação/Dudamel)

No entanto, o Deportivo Cali não tem repetido o bom desempenho do fim do ano passado, com apenas três vitórias em 14 jogos pelo Torneio Apertura, e estando na antepenúltima colocação (18º), à frente somente de Deportivo Pasto e Unión Magdalena.

É bem verdade que a equipe perdeu jogadores importantes como o volante Andrés Colorado, emprestado para o São Paulo, e o atacante Harold Preciado, negociado com o Santos Laguna, do México.

Ainda assim, a equipe verdeblanca conta com a permanência do consagrado atacante Teo Gutiérrez, um dos grandes nomes da conquista da Libertadores pelo River Plate, da Argentina, em 2015, e que ficou muito perto de acertar com o Corinthians duas temporadas depois, além da chegada do experiente zagueiro argentino Guilhermo Burdisso, de 33 anos.

Leia Também

Teo Gutiérrez chega a sua segunda temporada pelo Deportivo Cali (Foto: Divulgação/Deportivo Cali)

– O Deportivo Cali conta com o pragmatismo de Rafael Dudamel no comando da equipe, prezando por um bloco mais baixo e que feche bastante os espaços para rivais tecnicamente superiores. Junto disso soma-se o potencial ofensivo de Kevin Velasco, ponta esquerda de muita agressividade, e a experiência dos dois principais veteranos do time: Téo Gutierrez e Guillermo Burdisso. Além do destaque para outro zagueiro, de 23 anos, Jorge Marsiglia, destacável pela sua boa relação com bola e técnica para defesa de área – afirma Aurélio Solano, colunista do Footure FC, especialista em futebol sul-americano.

Time-base (4-2-3-1): Humberto Acevedo (Guillermo De Amores); Aldair Gutiérrez, Jorge Marsiglia, Guillermo Burdisso e Christian Mafla; Yimmi Congo (Andrés Balanta) e Edgard Camargo (Sebástian Leyton); Yony González, Teofilo Gutiérrez e Kevin Velasco; Agustín Vuletich. Técnico: Rafael Dudamel.

BOCA JÚNIORS

Fundação: 3 de abril de 1905
​Estádio: La Bombonera
Títulos nacionais: 34 (1919, 1920, 1923, 1924, 1926, 1930, 1931, 1934, 1935, 1940, 1943, 1944, 1954, 1962, 1964, 1965, 1969, 1970, 1976, 1976, 1981, 1992, 1998, 1999, 2000, 2003, 2005, 2006 2008, 2011, 2015, 2016/17, 2017/18, 2018/19)
Títulos da Libertadores: seis (1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007)
Quantas vezes disputou a Libertadores: 30
Melhor campanha na Libertadores: campeão (77, 78, 00, 01, 03 e 07)
Classificado como: campeão da Copa Argentina 19/20

Segundo maior campeão da Libertadores, com seis títulos, o Boca Júniors é um dos times mais temidos da América do Sul, mas não levanta o caneco continental há 15 anos.

A equipe chega para a disputa do torneio neste ano sob o comando de Sebastián Battaglia, que é um dos atletas mais vencedores da história xenize, com 17 títulos, e assumiu o Boca no decorrer da última temporada, após a eliminação da equipe argentina nas oitavas da Liberta no ano passado, para o Atlético-MG.

Battaglia dirigia os times de base do Boca Júniors e com meses de trabalho na equipe profissional levou o clube ao título da Copa da Argentina, que classificou os azuis y oro para a Libertadores.

Assim como o Corinthians, o Boca tem os seus principais jogadores com idade mais avançada e aposta na experiência deles. Na linha defensiva, o argentino Marcos Rojo e os peruanos Carlos Zambrano e Luis Advíncula têm históricos pelas suas seleções nacionais, mas hoje todos eles têm 32 anos. Já no setor ofensivo Eduardo ‘Toto’ Sálvio tem 31 anos, assim como o principal reforço dos xenizes em 2022, o atacante Darío Benedetto, que retorna ao clube após quatro anos depois de levar o Boca Júniors ao vice-campeonato da Libertadores em 2018, perdendo a final para o arquirrival, River Plate.

Na sua primeira passagem pelo Boca, Benedetto foi algoz do Palmeias na semifinal da Libertadores de 2018 (Foto: Divulgação/Twitter)

Além de Benedetto, o Boca trouxe outros três reforços: o zagueiro Nicolás Figal, argentino que estava no Inter Miami, dos Estados Unidos, o volante Pol Fernández, também argentino, que estava no Cruz Azul, do México, e o meia paraguaio Óscar Romero, irmão de Angel Romero, ex-atacante do Corinthians, vindo do San Lorenzo.

A equipe xenize também tem como um dos grandes destaques o atacante colombiano Sebástian Villa, de 25 anos, que por vezes foi cotado em clubes brasileiros e até mesmo da Europa, mas que tem um histórico extracampo bastante conturbado.

– Para esta temporada, o Boca Júniors acrescentou quatro reforços no elenco: o atacante Darío Benedetto, que vem do Elche da Espanha e que jogou a última final da Libertadores que o Boca disputou (a de 2018, contra o River, em Madrid); o meio-campista misto Guillermo “Pol” Fernández, que chega do Cruz Azul; o atacante paraguaio Óscar Romero, irmão gêmeo de Ángel (o que jogou no Corinthians); e o zagueiro Nicolás Figal, que vem do Inter Miami. Desta forma, montou um elenco super competitivo. Também em seu elenco estão Luis Advíncula e Carlos Zambrano, da seleção peruana, que agora disputarão a repescagem para o Mundial; e Frank Fabra, lateral-esquerdo da seleção colombiana e jogador mais antigo do clube – disse Sergio Maffei, setorista do Boca Júniors, pelo Diário Olé.

Time-base (4-3-1-2): Agustín Rossi; Luis Advíncula, Carlos Zambrano (Carlos Izquierdoz), Marcos Rojo (Gastón Ávila) e Frank Fabra; Cristian Medina, Pol Fernández e Juan Ramírez; Óscar Romero; Eduardo Salvio (Sebástian Villa) e Darío Bendedetto. Técnico: Sebastián Battaglia

SOBRE O CORINTHIANS

Fundação: 1º de outubro de 1910
​Estádio: Neo Química Arena
Títulos nacionais: sete (1990, 1998, 1999, 2005, 2011, 2015 e 2017)
Títulos da Libertadores: um (2012)
Quantas vezes disputou a Libertadores: 16 (1977, 1991, 1996, 1999, 2000, 2003, 2006, 2010, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016, 2018, 2020)
Melhor campanha na Libertadores: campeão (2012)
Classificado como: quinto colocado do Campeonato Brasileiro

Após uma troca de treinador na terceira partida do ano, o Corinthians, que colocou a Libertadores como prioridade nesta temporada, precisou ‘recalcular rota’ com a chegada do técnico português Vítor Pereira.

O Timão apresentou seis reforços para este ano: o goleiro Ivan; o zagueiro Robson Bambu; o lateral-esquerdo Bruno Melo; os meias Paulinho e Maycon; e o atacante Júnior Moraes.

No seu elenco há cinco jogadores que disputaram a última Copa do Mundo pela Seleção Brasileira: o goleiro Cássio; o lateral-direito Fagner; e os meias Paulinho, Renato Augusto e Willian.

No entanto, no que o Timão tem ganho em experiência, tem perdido em imposição física, o que ficou evidente nos jogos decisivos do Campeonato Paulista, no qual o Corinthians foi eliminado na semifinal para o São Paulo.

Vítor Pereira, então, estuda fazer trocas, tanto de esquema tático, quanto em peças do elenco, podendo barrar alguns ‘medalhões’ já na estreia da Liberta, contra o Always Ready.

Time-base: Cássio; Fagner, João Victor, Raul Gustavo e Lucas Piton (Bruno Melo); Maycon; Róger Guedes, Du Queiroz (Paulinho), Renato Augusto e Willian; Jô (Júnior Moraes). Técnico: Vítor Pereira

O técnico Vítor Pereira é visto como principal reforço do Corinthians na temporada (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

OPINIÕES DA REDAÇÃO L!

– O Corinhtians chega para a disputa da Libertadores a tratando como ‘menina dos olhos’ para a temporada, principalmente após ver o seu maior rival, o Palmeiras, conquitar o torneio nos dois últimos anos. No entanto, será muito difícil para o clube alvinegro chegar em nível de competitividade após alguns erros de planejamento, o principal deles a manutenção do técnico Sylvinho no fim da temporada passada e a demissão após três jogos neste ano. O Timão tem um bom técnico, ótimos jogadores, ainda que a maioria com o nível físico abaixo do que a Liberta requer, muito por conta da idade avançada, mas se o treinador corintiano colocar a equipe nos trilhos no decorrer da competição, o Time do Povo tem muito a dar trabalho nesta edição do torneio continental – Fábio Lázaro, setorista do Corinthians.

– O elenco do Corinthians foi pensado especialmente para a Libertadores, com jogadores consagrados no clube, como Cássio e Fagner, atletas experientes e que exercem liderança dentro do grupo, como Renato Augusto, e jovens com potencial, como João Victor e Adson. Com um elenco equilibrado entre jogadores jovens e experientes, o sucesso do Corinthians na Libertadores vai passar pela adaptação ao novo estilo de jogo imposto por Vítor Pereira e a forma como o clube vai conciliar o calendário, com o andamento do Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil – Rafael Marson, setorista do Corinthians

– O Corinthians volta a disputar a Libertadores com um calendário muito apertado e no início de trabalho do técnico Vitor Pereira. Terá de encarar um grupo complicado – com altitude de La Paz e o tradicional Boca Juniors – sem tempo para que o comandante português consiga implementar integralmente suas ideias. O elenco formado por jogadores experientes pode ser decisivo a suplantar esses desafios, levar a equipe ao mata-mata e mudar as perspectivas na competição – Valdomiro Neto, editor do LANCE! em São Paulo.

– O Corinthians estreia na Libertadores sob sinal amarelo. Após a eliminação no Paulistão, Vítor Pereira teve enfim seu tempo necessário para trabalhar como gosta e conhecer a fundo o elenco que tem em mãos. O time titular obviamente é muito forte e especialmente técnico, mas mostrou nas semifinais do Paulistão que não aguenta os 90 minutos com a mesma intensidade. E o banco do Timão não possui peças à altura para suprir certas ausências. Porém, nada melhor para embalar uma nova fase na temporada do que fazer o jogo inicial contra o time teoricamente mais fraco da chave, ainda que na pesada altitude de 3.600 metros – Márcio Monteiro, editor do LANCE! em São Paulo.

OPINIÕES DE OUTRAS REDAÇÕES

– Apesar de ter se reforçado com nomes de peso, jogadores bastante experientes de renome internacional, o Corinthians ainda não tem um time. A insistência na permanência do técnico Sylvinho fez com que o Corinthians perdesse praticamente dois meses de trabalho, e o técnico Vitor Pereira está ainda conhecendo o elenco. Por esse motivo, não coloco o Corinthians como um dos favoritos ao título. Mas como clube grande que é, sempre pode surpreender – Marco Bello, setorista do Corinthians na rádio Transamérica.

– Não entra na prateleira de favorito ao título, mas tem potencial para crescer durante a competição e brigar. Vai depender do encaixe das peças e da parte física. Como Vítor Pereira vai resolver os problemas de criação e ataque do time, quem joga no meio-campo, com ou sem centroavante? E claro, se fisicamente os principais jogadores vão melhorar: Paulinho, Renato Augusto e Willian. Corinthians e Boca Júniors não podem vacilar no grupo. Quem fizer mais pontos contra o Deportivo Cali fica em primeiro – Flávio Ortega, repórter dos canais ESPN.

– “O time do Vitor Pereira é apático. Não ganha clássicos!” “A montagem do elenco foi errada. Só tem jogador velho!” Já ouvimos essas críticas, seja na rede social ou em programas esportivos. Acredito que o tempo vai mostrar que essas afirmações são falsas. O Corinthians é um dos candidatos ao título da Libertadores, mesmo que a impressão inicial do trabalho de Vitor Pereira não tenha sido boa nos poucos jogos que disputou do Paulistão. A chegada de Maycon é o reforço que tem tudo pra transformar o Timão. É dinamismo que o português quer? O novo camisa 5 pode entregar e potencializar os demais atletas. Para esse Corinthians jogar aquilo que se espera, basta tempo, justamente o que o Timão teve nesta última semana com a eliminação precoce no Estadual. Estão desdenhando. É assim que a história alvinegra sempre foi escrita. Do jeito Corinthians. Do jeito que o Bando mais gosta – João Paulo Cappelanes, setorista do Corinthians pela rádio Bandeirantes.

– O Corinthians chega para disputa da Libertadores com grande expectativa e muitas dúvidas em relação ao time. O desempenho no estadual mostrou que será muito difícil juntar Paulinho, Renato Augusto e Willian no time titular sempre, sem contar com Cássio Fagner e Gil, jogadores com mais de 30 anos do 11 titular. O trabalho de Vítor Pereira é muito incipiente, mas mostrou boas ideias, bem como que vai precisar de mais fôlego nas peças para executar o jogo com mais constância. A aposta é em um equipe bem diferente daquela que caiu na semifinal do Paulistão. Com mais espaço pra Maycon, Gustavo Silva e Adson – Raí Monteiro, comentarista do Band Sports.

– Corinthians chega sob desconfiança. A empolgação pela campanha do ano passado e a pressão para subir ao patamar dos grandes rivais em melhores condições financeiras e esportivas trouxe mais insegurança que futebol. Vitor Pereira tem uma missão difícil, não na primeira fase que vai ser protocolar. Levar o Corinthians ao título será quase um milagre – Leonardo Fontes, comentatista da rádio 105 FM, TV N’Sports e apresentador do Esporte por Esporte.

ONDE ASSISTIR O TIMÃO NA LIBERTADORES

A Libertadores de 2022 terá transmissão em TV aberta, pelo SBT; fechada, com ESPN e Conmebol TV; por streaming, pelo Star+; e internet, em formato aberto, pelo Facebook Watch.

No ano passado, o Facebook e o Grupo Disney, que comanda os canais ESPN, fizerm uma parceria para que as plataformas compartilhassem alguns jogos, o que não foi confirmado para essa temporada até o fechamento da matéria.

O Timão terá quatro jogos abertos na fase de grupos, sendo três na televisão, pelo SBT, e um no Facebook Watch.

Confira onde cada partida do Corinthians pela competição continental será exibida:

– Always Ready/BOL x Corinthians, 05/04, às 21h30 – SBT e Conmebol TV
– Corinthians x Deportivo Cali/COL, 13/04, às 21h – ESPN e Star+
– Corinthians x Boca Júniors/ARG, 26/04, às 21h30 – SBT, ESPN e Star+
– Deportivo Cali/COL x Corinthians, 04/05, às 21h – Conmebol TV
– Boca Júniors/ARG x Corinthians, 17/05, às 21h30 – SBT, ESPN e Star+
– Corinthians x Always Ready/BOL, 26/05, às 21h – Facebook Watch

Em relação às plataformas pagas, a ESPN está inclusa nos principais pacotes de televisão por assinatura. Já a Conmebol TV é um pay per view que até o momento está disponível somente nas empresas Claro/NET, Sky e DirecTV Go, custando R$ 39,90 mensais. O Star+, por sua vez, é um serviço exclusivo de streaming e custa mensalmente R$ 32,90.
E MAIS:

Fonte: ESPORTE.IG.COM.BR