Após mergulho em Cacoal, DJ de Ji-Paraná fica paraplégico e pede ajuda para não perder todos os movimentos do corpo

Cirurgia que impedirá a tetraplegia custa R$ 100 mil, segundo organizadores da “vakinha”

Os familiares e amigos do DJ Whayne da Silva Rodrigues, de 36 anos, vítima de um acidente ocorrido no domingo, 04, em Cacoal, estão promovendo uma vaquinha virtual para  que ele possa realizar uma cirurgia delicada na coluna.

O pedido de ajuda, que chegou ao FOLHA DO SUL ON LINE através de uma amiga da vítima, conta que o DJ sofreu fraturas graves, que já o deixaram paraplégico, porém, podem seu quadro pode evoluir para uma tetraplegia caso o procedimento não seja realizado com urgência.

Whayne, que mora em Ji-Paraná, estava com amigos em um rio de Cacoal e, ao dar um mergulho, sem conhecer o local, acabou batendo a cabeça numa pedra que estava na parte rasa da água. Livrou de se afogar porque os amigos o resgataram e o levaram para o hospital

Whayne, que também é técnico em ar condicionado, sofreu lesões gravíssimas, incluindo fraturas e luxações na coluna cervical, denominadas trauma raquimedular, que provoca alterações motoras, sensitivas e autonômicas, já se encontra com movimentos apenas do quadril para cima, mas caso não seja operado nos próximos dias, pode perder os movimentos totais abaixo do pescoço.

Possuindo apenas 23% do valor do procedimento avaliado em R$ 100 mil, o DJ jiparaense apela para a solidariedade dos rondonienses a fim de conseguir custear o procedimento.

“Em questão de segundos, por uma coisa banal, a vida dele mudou completamente”, disse a amiga que solicitou a divulgação da campanha ao site vilhenense.

Quem puder colaborar com a causa é só realizar sua doação CLICANDO AQUI, que o paciente, familiares e amigos agradecem.

Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação