Polícia Federal é autorizada a buscar provas contra Ministro Toffoli

Decisão de Edson Fachin permite que a pf utilize informações de duas operações relacionadas à Lava Jato do Rio de Janeiro por supostas vendas de decições judiciais undefined Decisão de Edson Fachin permite que a pf utilize informações de duas operações relacionadas à Lava Jato do Rio de Janeiro por supostas vendas de decições judiciais

Edson Fachin, ministro do Superior Tribunal Federal (STF), permitiu que a  Polícia Federal utilize os dados de duas operações da Lava Jato do Rio de Janeiro na apuração de supostas vendas de decisões judiciais por parte de Dias Toffoli. As informações são do jornal A Folha de S.Paulo.

A PF alega que precisa apurar o inquérito contra o ministro Toffoli e que necessita destas informações para embasar seu relatório.

Anteriormente, a decisão do juiz Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, foi de não autorizar as buscas por provas por envolver pessoas com foro. Augusto Aras, procurador-geral da República, manifestou-se de maneira contrária, pois a Polícia Federal não indicou quem seriam os investigados.

Fachin foi ao encontro da tese da Polícia Federal de que a delação premiada do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, de que as informações repassadas poderiam ser utilizadas para outras investigações.


O relatório produzido pela Polícia Federal, para colicitas a coleta das informações contra Toffolicorrobora a acusação do ex-governador do Rio de que o minstro da Suprema Corte teria recebido R$ 3 milhões para conceder uma decisão judicial favorável a Antônio Francisco Neto (MDB), então prefeito de Volta Redonda.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR