Com aumento de infectados, promotor adverte para novo colapso na saúde e requer providências para garantir leitos em Vilhena

O Ministério Público de Rondônia (MP) expediu Ofício Recomendatório ao Município de Vilhena, em que pede, em caráter de urgência, que sejam adotadas providências para que sejam asseguradas vagas suficientes para atender pacientes acometidos de covid-19, residentes na cidade de Vilhena e também nos demais municípios da região do Cone Sul, evitando-se, assim, óbitos em decorrência da falta de leitos.

Atualmente, a taxa de ocupação da UTI na Central Covid da cidade é de 100%.

A medida é uma iniciativa do Promotor de Justiça, Paulo Fernando Lermen, em razão do aumento abrupto de casos da doença.

Conforme detalhou o integrante do MP, no dia 1º de junho, até às 16h, haviam sido registrados 70 novos casos de covid em Vilhena.

Atualmente, há 30 pacientes internados com a doença em isolamento na Central de Atendimento à Covid local e no Hospital Regional de Vilhena, sendo 23 de Vilhena e sete de outras cidades; dois de Rolim de Moura; um de Cabixi; um de Corumbiara e três de Colorado. Destes, 20 estão na UTI, sendo 14 intubados.

No ofício em que expõe os dados da covid na região, o MP alerta para notícias em que já são relatadas possíveis faltas de leitos em unidades de saúde do Estado e adverte para a ocorrência de um novo colapso na saúde, abrangendo Vilhena.

OUTRAS MEDIDAS

Ao detalhar o cenário, Paulo Fernando Lermen solicitou ao Município que seja empreendida uma fiscalização mais efetiva nos estabelecimentos comerciais da cidade e que sejam empregadas as medidas mais restritivas no enfrentamento à Pandemia.

Já à Vigilância Sanitária e Polícia Militar, foi recomendado fiscalizar aglomerações de pessoas, procedendo autuação diante da constatação de situações não autorizadas em Decretos.

O Município tem o prazo de 24 horas para encaminhar ao MP, em caráter de urgência, relatório detalhado das medidas adotadas.

Fonte: extraderondonia