Calheiros cita ‘batalha final contra os golpistas’ após Exército livrar Pazuello

Renan Calheiros, senador e relator da CPI da Covid Jefferson Rudy/Agência Senado Renan Calheiros, senador e relator da CPI da Covid

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), comentou a decisão do Exército de livrar Pazuello de punição por participar de ato político com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) . Em analogia militar, Calheiros falou em “batalha final contra os golpistas”.

“Há diferença grande entre os movimentos sagazes da guerra: a retirada e a capitulação, que é a rendição ao inimigo. Quero crer que a decisão do comando do Exército é o movimento de retirada, de recuo, não de capitulação. Tenho certeza de que os comandantes não vão se render na guerra pela democracia. É um movimento tático para poupar forças para a batalha final contra os golpistas e inimigos da Constituição”, escreveu em seu Twitter.

Criticada por políticos e até mesmo por algumas alas das Forças Armadasa decisão do Exército foi divulgada na tarde desta quinta-feira (3), em nota oficial.

“Acerca da participação do General de Divisão EDUARDO PAZUELLO em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general. Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO. Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado”, diz o comunicado.

Pazuello, sem máscara, em ato político ao lado de Jair Bolsonaro; prática é proibida pelo exército, porém, não houve punição O Antagonista Pazuello, sem máscara, em ato político ao lado de Jair Bolsonaro; prática é proibida pelo exército, porém, não houve punição


Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR