Vídeo: Soldados tocam ‘Don’t Worry, Be Happy’ em frente a barricada

Reprodução/Twitter Soldados tocando “Don’t Worry, Be Happy”, de Bobby McFerrin, em frente a barricadas que protegem a Ópera de Odessa

Vídeos de soldados ucranianos cantando e dançando tem sido compartilhados nas redes sociais desde o início da invasão militar da Rússia no país. Nesta terça-feira, combatentes foram flagrados tocando “Don’t Worry, Be Happy”, de Bobby McFerrin, em frente a barricadas que protegem a Ópera de Odessa. A cidade com construções históricas está no alvo de bombardeios após ataques em Kiev e Mariupol.


Na frente de sacos de areia e bandeiras do país, os militares no local praticamente vazio executaram o clássico dos anos 1980, com uma mensagem para que as pessoas não se preocupem e sejam felizes. O próprio McFerrin compartilhou o vídeo no canal oficial dele no YouTube e descreveu a cena como “profundamente comovente”.

“Nós não entregamos Odessa a Hitler e não vamos entregá-la a mais ninguém. Não posso dizer que não estou com medo. Estou com muito medo, especialmente quando vemos notícias de cidades destruídas e soldados mortos” disse Galyna Zitser, diretora da Orquestra Filarmônica de Odessa.

Odessa é o principal porto da Ucrânia, no Mar Negro. A cidade estratégica fica na direção oposta da Crimeia, invadida e anexada à Russia em 2014. Os moradores estão fazendo barreiras na praia com sacos cheios de areia e participando de treinamentos de armas. Na segunda-feira, a marinha da Ucrânia disse ter atingido um navio russo no Mar Negro em uma ação de defesa.

Leia Também

O morador Vasyl Miloserdnyi, 61 anos, conta que tem ouvido o barulho distante de explosões, mas que não houve pânico na cidade. Ele e vizinhos vedaram as janelas de seus apartamentos com fita adesiva e ainda há alimentos nos mercados, dinheiro disponível no bancos, e agricultores que entregam leite, carne e ovos para a cidade

“Não entramos em pânico, não tiraram os últimos pedaços de comida das prateleiras. Esperamos que tudo isso se resolva logo e acabe” disse.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. 

*(com informações de agências internacionais)

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR