Óbito de menina deixada sozinha em casa pode mudar hábitos de muitos pais, diz especialista

O fatídico caso da pequena Rafaella Lozzardo Silva, de apenas seis anos, que faleceu depois de cair do 12º do edifício em que morava, gerou uma grande comoção entre internautas. A menina perdeu a vida ao ser deixada em casa sozinha pelo pai, que saiu para levar a namorada embora.

A menina foi deixada em casa na madrugada do último sábado (11), para levar a namorada até a casa dela. Em meio às críticas sobre o fato, nas redes sociais, estão sendo feitas algumas reflexões sobre o acontecimento.

Comportamento de pais pode mudar após tragédia

O questionamento levantado sobre isso é se os pais e responsáveis, que costumam deixar crianças sozinhas em casa, continuarão a cometer o ato ou vão rever as suas ações. Segundo a psicóloga Geovana Ortiz, que foi ouvida pelo G1, a resposta para isso é “sim”, que isso pode ocorrer.

Segundo explicou a profissional, a mudança de comportamento realmente pode ocorrer depois de uma tragédia, como a que aconteceu com a menina. “Alguns pais começam a pensar que poderia ser com o filho deles e tendem a refletir”, explicou ao G1.

Ortiz explicou que o que pode ser gerado na sociedade, de uma forma geral, é uma reação imediata de julgamento. Após essa primeira análise da população, as pessoas tendem a refletir sobre o acontecimento e entendem que podem cometer atitudes semelhantes, como qualquer pessoa.

Cuidados com crianças em casa

“Quando acontece uma tragédia dessa, alguns pais começam a pensar que poderia ser com o filho deles, e tendem a refletir sobre a questão de deixar a criança sozinha”, falou Ortiz em outro trecho da entrevista. O psicólogo Robson Douglas discorda em alguns pontos dessa opinião, segundo ele, alguns pais vão continuar agindo igual e que isso não pode ser generalizado.

I7 News