Juíza diz em sentença que réu negro é criminoso em razão da raça

reprodução / Twitter Sentença com teor racista foi dada pela juíza Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal de Curitiba

Uma juíza de Curitiba alegou que um réu negro era “seguramente integrante de um grupo criminoso em razão da sua raça “. A declaração foi feita em uma sentença elaborada por Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal de Curitiba. A defesa do réu postou o trecho polêmico nas redes sociais e viralizou.

O réu primário Natan Vieira da Paz, de 42 anos, foi condenado a 14 anos e dois meses de prisão por organização criminosa e roubos no centro de Curitiba, no Paraná. A juíza afirmou que nada se sabe sobre a conduta social do acusado, mas justificou a pena com base na cor da pele do acusado.

“Seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça , agia de forma extremamente discreta os delitos e o seu comportamento, juntamente com os demais, causando o desassossego e a desesperança da população, pelo que deve ser valorada negativamente”, diz a decisão.

A sentença é de junho de 2020, mas a advogada de defesa Thayse Pozzobon , foi notificada apenas nesta terça-feira (11). O Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) informou que a Corregedoria instaurou um processo administrativo para apurar os fatos. A advogada do acusado também vai recorrer sobre a decisão.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR