Periferia ganha estímulo ao empreendedorismo com workshop sobre moda

Foto: Divulgação Mais de cem pessoas já foram impactadas pelo projeto

O Projeto Arrastão, organização que promove oportunidades de inserção social e capacitação profissional para famílias do Campo Limpo, bairro periférico de São Paulo, oferece em sua programação geral aulas de empreendedorismo, moda, design e gastronomia. Entre elas está a ‘Periferia Inovadora Moda’, uma formação que, segundo estimativas dos organizadores, já impactou uma média de 120 pessoas — indiretamente — considerando os reflexos que o aprendizado pode trazer não só para alunos, como para familiares e amigos. Somente essa ação, em especial, capacitou jovens e adultos – de idades entre 24 e 65 anos – com formação teórica e prática em moda e negócios, durante 5 meses.

Agora você pode acompanhar todos os conteúdos do iG Delas pelo nosso canal no Telegram. Clique no link para entrar no grupo .  

Durante os meses de maio e junho, o projeto ‘Periferia Inovadora Moda’ ganhou um novo módulo — realizado de forma híbrida: o ‘Workshop Moda e Empreendedorismo, criando sua marca’. Foram duas sessões conduzidas por Isabel Masagão Moufarrege e Julia Lavor, e que significaram momentos de união de sonhos de infância, amizade, paixão e troca de experiências entre gerações e realidades de vida muito diversas, tanto para as jovens quanto para os empreendedores da comunidade do Campo Limpo.


As amigas, Isabel e Julia, se conhecem desde criança e sempre nutriram a paixão pelo mundo da moda. Desde então, se dedicam para entender melhor o mercado, numa preparação para atuar nele no futuro. A história delas se cruzou com a do Projeto Arrastão quando enxergaram nas atividades do coletivo uma oportunidade para conhecer o ponto de vista de homens e mulheres sobre a moda, de uma diferente perspectiva socioeconômica. Para além disso, as jovens encontraram nas oficinas que a organização aplica, o ambiente adequado para uma rica troca de experiências com a comunidade, gerando ainda novos estímulos para fontes alternativas de geração de renda.

Foto: Divulgação Isabel e Júlia encontraram na moda uma possibilidade de carreira

Após conversas com os assessores de moda e empreendedorismo do ‘Periferia Inovadora Moda’ e participação ativa com a comunidade nas demais oficinas do Arrastão, as amigas estruturaram o workshop e aplicaram aulas de conteúdo informativo sobre conceitos e tendências no mundo da moda, para duas turmas, promovendo a troca de saberes e habilidades, na prática.

“Meu marido é tapeceiro, confecciona e reforma estofados e cortinas. Para ajudar no negócio, busquei o curso para aprender mais sobre costura, inicialmente. Com as aulas de empreendedorismo inseridas na programação por meio do módulo ‘Criando sua marca’, percebi que o curso me ofereceria muito mais do que técnicas para costurar e mostrou que precisava ajustar processos gerenciais em nossa empresa, que é um pequeno negócio de família, ainda. Então, indiquei meu marido para fazer aulas comigo, enquanto eu foco na parte de corte e costura, ele absorve o conteúdo de empreendedorismo, já que de confecção, ele já entende”, conta Liliane Fernandes, aluna de uma das turmas.

Luci Carmen Nogueira, de 64 anos, é outra aluna de longa data dos muitos workshops promovidos pelo Projeto Arrastão, e conta que nesse último teve oportunidade de ter contato com um tema muito relevante para ela, a questão das práticas sustentáveis aplicadas aos negócios. “É um assunto urgente e talvez pouco difundido em comunidades. As atividades do Arrastão nos oferecem esse acesso, além de estimular ações que garantem qualidade de vida para nós e futuras gerações”, diz.

Em relação ao perfil dos participantes, 40% da turma era de mães que buscam na formação uma oportunidade de geração de renda, 20% já eram atuantes da área da moda e buscavam ampliar seus conhecimentos para empreender e outros 20% eram de pessoas em transição de carreira ou em idade de se aposentar, e que procuraram na moda uma oportunidade de investir seu tempo e garantir renda extra.

Foto: Divulgação Produção no workshop

Regina Célia de Camargo, que é professora aposentada, buscou as aulas para aprender a operar uma máquina de costura que a mãe tinha em casa para que, a partir dela, pudesse criar um negócio que gerasse renda extra, já que são aposentadas. “Criamos uma marca de kits voltados para mulheres e atingimos o primeiro objetivo. Mais do que um negócio, com a convivência nas aulas e as conversas comandadas por duas meninas, muito mais jovens que nós, relembrei meus tempos de docente e assim como as outras participantes, saí inspirada e empoderada, acreditando que mais que aulas de moda, a educação é uma ferramenta de transformação para a vida!”, conta emocionada.

Elizena Lucia Cocci, também professora aposentada, completa o depoimento da colega e diz: “Eu busquei as aulas para ter uma nova ocupação, além de reviver a vida acadêmica e aprender sobre mundos que eu não conhecia, moda, empreendedorismo…me surpreendi com a infinidade de temas e assuntos que nos foi passado. O mais emocionante foi ser apresentada ao novo e ensinada por ‘duas crianças’, já que sou uma senhora de 60 anos, que vê magia no ‘ensinar’. Tocou meu coração e saí transformada, na alma”, relata com a voz embargada.

Em geral, o conhecimento repassado nas aulas serviu como ferramenta de aperfeiçoamento sobre as técnicas de costura, com objetivo de desenvolver peças para comercialização. Para Isabel e Julia, a experiência serve de combustível para a carreira que pretendem seguir no mundo da moda. O próximo passo para elas é participar de um curso de férias no International Fashion Academy (IFA) em Paris, escola que vem formando tendências e atores de destaque no mundo da moda desde 1980.

Foto: Divulgação Dezenas de famílias já foram transformadas por projeto

“Moda para mim é a chance perfeita de expressar meu interior no meu exterior, que sempre me pareceu mágica! A maneira como nos vestimos diz muito sobre como pensamos, agimos e principalmente sonhamos. Partindo desse princípio, organizar esse trabalho com a Júlia foi a oportunidade para aplicar a moda na vida real, para além do meu universo. Nesses workshops, conhecemos vidas e pessoas com diferentes realidades e pensamentos, e que como nós, sonham intensamente. Ajudá-las a buscar suas ambições, por meio da moda e da educação, foi inspirador, muito gratificante para nós e representa o começo da nossa vivência profissional nesse universo que tanto amamos”, explica Isabel.

Para Júlia, a moda é uma maneira robusta de comunicar os sentimentos e pontos de vista, ao mesmo tempo em que é delicada, pelo uso da arte e beleza como ferramentas. “Foi com esse pensamento que estruturamos esse projeto, que é tão especial para nós, mas que tem potencial grandioso de causar impacto positivo para a comunidade. O resultado traz o fascínio da moda somado ao poder transformador da educação”, comenta.

Das salas de aulas para a prática

Após a finalização das aulas, os participantes estarão na feira de negócios Empreendedores Arrastart, promovida pela equipe do Projeto Arrastão, comercializando produtos gastronômicos, de moda e design, produzidos pelos alunos da organização, a partir dos conhecimentos adquiridos durante os cursos. O evento contará com a presença e parceria do SEBRAE MÓVEL, oferecendo assessoria para quem quer abrir um negócio e para quem já empreende.

Foto: Divulgação Bolsa de retalhos produzida por alunas durante as aulas no Projeto Arrastão

Na programação da feira, que é gratuita, aberta ao público e acontece no dia 16 de julho, na sede do Projeto Arrastão, localizada na Rua Dr. Joviano Pacheco de Aguirre, 255, no Campo Limpo, está previsto uma apresentação do workshop “Tirando o seu negócio do Papel: o passo a passo para empreender”, com Érika Lagallo, facilitadora de Design Thinking, às 10h30. Na sequência, às 11h30, acontece um desfile de moda e design com os produtos dos empreendedores Arrastart. Mais tarde, às 12h30, palestra “Alimentando a tecnologia ancestral nas Periferias: atravessando pontes e oceanos”, apresentando a trajetória da Chef Suellen Maristela, empreendedora da Matulas da Nêga. Seguindo o cronograma, às 14h, tem a Oficina de stencil e customização de tecidos, com Karin Dal Seno, estilista e educadora de moda e design. Paralelamente, também às 14h, Oficina de fotografia de produtos com celular, com Agenor Mendes, fotógrafo e artista plástico. O evento abre às 10h e o encerramento das atividades será às 16h.

Rodrigo Thomas é um dos formados pelo Arrastão e estará apresentando sua marca durante a feira. “Sempre fui apaixonado por arte e nas atividades do curso me encontrei, transformando esse amor em moda, que posteriormente virou negócio. O projeto me deu espaço para olhar as coisas de outras perspectivas, tanto para mim, como pessoa, quanto para a minha marca!”, explica o criador da Arrastart, que também mantém uma loja virtual no Instagram, a Estúdio Maricas.

Também fruto do projeto e presente na feira, está a marca I P for M que se propõe a oferecer moda sob medida para a periferia em uma coleção de qualidade e produtos personalizados de acordo com o estilo e vontade de cada cliente, com preço justo e acessível. “A nossa participação no módulo “Criando sua Marca” permitiu que a gente atualizasse nossa pesquisa de mercado, ao mesmo tempo em que tínhamos contato com tendências de moda apresentadas mundialmente”, conta Iago de Sousa Silva da IP for M.

Fonte: DELAS.IG.COM.BR