Após marido ser preso vendendo drogas através do WhatsApp, mulher justifica tráfico alegando que é “para complementar renda”

 
Garota de 25 anos confessou crime e disse que trafica por estar desempregada
 
Na noite desta segunda-feira, 26, uma guarnição da Polícia Militar que fazia patrulhamento de rotina pelo Setor 19, em Vilhena, observou um motoqueiro em atitude suspeita, andando devagar e olhando para os lados,
 
Na praça daquele bairro, conhecido local de venda e consumo de drogas, os militares abordaram o rapaz, que tem 23 anos, e encontraram em poder dele duas porções de maconha escondidas em seu short.
 
Após revelar que havia vendido a droga através do WhatsApp e estava indo entregar o produto ao “cliente”, o jovem, que não portava documentos pessoais ou da motocicleta levou os PMs até a casa em que mora, na rua Sergipe, onde entregaria sua identidade.
 
 Na residência, a mulher do suspeito (ela tem 25 anos) foi questionada se sabia que o marido vendia drogas e confirmou que sim, acrescentando inclusive que o ajudava na atividade ilegal, justificando o crime: estava desempregada e tinha no tráfico um complemento da renda da família.
 
Na geladeira da casa, a polícia encontrou mais 232 gramas de maconha, e em locais diferentes, balança de precisão, papel filme para embalar a erva e 100 reais em dinheiro. Em cima do guarda-roupa, os policiais encontraram  R$ 2.227,00 que o jovem admitiu ter ganhado com a venda de entorpecentes e alegou que estava juntando a quantia para “alguma emergência”.
 
Junto com a motocicleta, os objetos e dois celulares de procedência duvidosa, o casal foi preso em flagrante e apresentado na Unisp para providências.
 
 

Fonte: FOLHADOSULONLINE.COM.BR