Cientistas criam máscara com dispositivo que tem capacidade de diagnosticar a Covid-19

A pandemia do coronavírus é um dos grandes problemas enfrentados pela sociedade na atualidade. A doença matou milhões de pessoas ao redor do mundo desde que surgiu na China no final do ano de 2019. A vacinação contra o vírus trouxe a esperança de que a vida possa voltar ao normal.

No entanto, até que toda a população seja vacinada completamente, é importante continuar mantendo os cuidados necessários para evitar o contágio. Para ajudar nesse processo, a máscara fácil tem sido extremamente importante, pois reduz os riscos de que a pessoa seja contaminada e para aqueles que estão doentes auxilia a evitar a propagação para outras pessoas.

Os cientistas da Universidade Harvard e do Massachusetts Insitute of Technology, nos Estados Unidos, conseguiram desenvolver um tipo de teste para detectar o coronavírus que pode ser instalado em máscaras. O resultado do exame pode ser entregue em menos de duas horas depois de ter sido ativado.

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1021620.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

A descoberta foi divulgada nesta última segunda-feira, 28 de junho, na revista Nature Biotechnology. O dispositivo com o tecido reagente é colocado de forma previa na máscara. A pessoa que estiver usando pode fazer a ativação do teste por meio de um botão. Conforme os estudiosos, o resultado do teste sai em cerca de 90 minutos e tem um nível de precisão parecido com o exame tipo PCR, o que é feito normalmente com uma espécie de cotonete.

“Nossos biossensores podem também ser integrados em outros tecidos para fornecer detecção rápida de itens perigosos, como vírus, bactérias, toxinas e agentes químicos”, disse Peter Nguyen, um dos cientistas que participou do projeto. O sensor do vírus da Covid é uma ideia que surgiu anterior a pandemia da Covid-19.

Os pesquisadores estavam buscando dispositivos para poder encontrar o vírus Zika, mas com a pandemia, os esforços foram concentrados em tentar ajudar de alguma maneira o combate ao vírus da Covid.

Continue Lendo Comunicar Erro
(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://jsc.mgid.com/i/7/i7news.com.br.1014215.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
$.getScript(‘https://assets.revcontent.com/master/delivery.js’);
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

(function($){
var count_to_contab = false;

$(‘body, html’).bind(‘touchstart touchmove scroll mousedown DOMMouseScroll mousewheel’, function(e){
if(count_to_contab == false){
var script=document.createElement(‘script’);script.src=’https://backstage.i7.network/tags/728a61cb4d272644/index.js?rd=’+(Math.random()*10000000000000000);document.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(script);script.onload=function(){new i7Tag({‘placement’:’i7_articles_feed’});}
}

count_to_contab = true;
});
})(jQuery);

Fonte: I7NEWS.IG.COM.BR