Não era amor, era cilada: apps de paquera são usados para roubar dinheiro

Apps de paquera Unsplash/Alexander Sinn Aplicativos de relacionamento são isca para novo golpe digital

A Interpol emitiu um alerta sobre o aumento de casos de fraudes digitais , cujas vítimas eram escolhidas em aplicativos de relacionamento . Segundo a organização internacional de segurança, o uso de “apps de paquera” se intensificou bastante durante a pandemia de Covid-19 , o que facilitou a ação dos criminosos.

De acordo com o comunicado, o golpe consiste em conquistar a confiança de suas vítimas e depois as induzir a participar de uma “corrente de investimentos”.

Você viu?

“No início, um romance artificial é desenvolvido via app de relacionamentos. Depois que a comunicação se torna mais regular e um certo nível de confiança é estabelecido, os criminosos compartilham dicas de investimentos com suas vítimas, e as encorajam a fazer parte de um esquema”, diz a nota divulgada pela Interpol.

As vítimas, então, baixam um aplicativo de investimentos e criam um perfil na plataforma, passando a comprar vários produtos financeiros. Com isso, elas vão alcançando níveis mais altos na chamada ‘corrente de investimentos’, sob orientação dos fraudadores. “Eles são levados a crer que podem alcançar status Gold ou Vip”, explica a organização policial.

Os golpistas fornecem dados variados para dar credibilidade ao esquema. “Eles providenciam capturas de telas, nomes de domínios assustadoramente similares aos reais e agentes de atendimento ao consumidor que fingem ajudar as vítimas a escolher os melhores produtos.” Após obter o dinheiro , os criminosos encerram todo o contato e bloqueiam o acesso às contas.

A divisão de Crimes Financeiros da Interpol diz ter sido notificada de ocorrências envolvendo apps de paquera em vários lugares do mundo. O alerta explicando a ação dos criminosos foi enviado a 194 países membros da organização, incluindo o Brasil .

Como se proteger

No comunicado, a Interpol também deu dicas para “garantir que a paquera virtual continue divertida e não esvazie sua conta bancária”:

Fonte: TECNOLOGIA.IG.COM.BR