Menina de 10 anos estava com diabetes gestacional e corria risco de vida se continuasse gravidez

Publicidade

O caso da menina de apenas 10 anos, que realizou um procedimento abortivo na última segunda-feira (17), após ter sido abusada por 4 anos, tem tido ampla repercussão nacional. Nesta terça-feira (18), o tio da criança, acusado do crime, acabou sendo preso pela polícia em Betim, Minas Gerais, após confessar o abuso de forma informal.

A criança de 10 anos revelou à polícia que vinha sendo abusada desde os seis, e que não denunciou o crime anteriormente porque era ameaçada pelo homem de 33 anos, companheiro de sua tia.

De acordo com a apuração do jornal O Globo, os médicos que cuidaram do procedimento de interrupção da gravidez da menina informaram que ela estava com um quadro de diabetes gestacional. “Segundo médicos, havia risco de morte caso a gestação fosse levada a termo“, afirma a notícia.

Publicidade

A lei brasileira permite que vítimas de estupro e gravidez com risco de óbito sejam interrompidas. Mesmo assim, a unidade hospitalar onde a menina foi encaminhada para a realização do procedimento foi alvo de protestos de grupos religiosos, que tentaram impedir o aborto.

Publicidade Publicidade

Denúncia do acusado

Em contato com a reportagem do jornal O Globo, a Polícia do Espírito Santo confirmou a veracidade de um vídeo que já está circulando nas redes sociais, em que o acusado aparece, pedindo para que o material genético do feto, colhido pela Polícia Científica de Pernambuco, seja comparado com o DNA do avô da menina e de um outro tio, que também moram na mesma residência.

Fontes próximas à família informaram ao jornal O Globo que o acusado não é tio de sangue da vítima, e sim companheiro da tia da menina.

Fonte: www.i7news.com.br/noticia/23894/cidades/menina-de-10-anos-estava-com-diabetes-gestacional-e-corria-risco-de-vida-se-continuasse-gravidez-18082020