Chuvas no RJ: prefeito de Angra pede desligamento de usinas nucleares

Reprodução/Instagram – 03.04.2022 Prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão (à direita), acompanha os trabalhos de resgate no município

O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, disse que pediu ao ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, o desligamento das usinas nucleares instaladas na cidade. O motivo são as fortes chuvas que caem desde quinta-feira (31) e que interditaram pontos das principais estradas de acesso ao município, como a RJ-155 e a Rio-Santos.

“Estamos com as estradas fechadas, estamos ilhados. Sou um defensor da matriz nuclear e temos plano de emergência, mas como a gente faz o plano sem estrada? Não dá. Por isso estou pedindo o desligamento das usinas nucleares. Já me comuniquei com o ministro Marcelo Sampaio”, afirmou Jordão, que está na companhia do governador Cláudio Castro na manhã deste domingo (3). “O governador acaba de chegar aqui, vamos sobrevoar as regiões de Monsuaba e Ilha Grande, onde ainda há desaparecidos”, continuou.

Ainda no sábado (2), a estatal Eletronuclear havia informado que as usinas nucleares Angra 1 e 2 seguiam operando normalmente, com capacidade total, não tendo sido afetadas pelas fortes chuvas que caem na  Costa Verde desde quinta-feira.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, há pelo menos dez pontos de interdição, total ou parcial, na Rio-Santos, por causa de deslizamentos de terra e alagamentos. Sete máquinas retroescavadeiras fazem trabalhos de desobstrução na altura dos quilômetros 447 e 466. Na RJ-155, a interdição é no túnel, com passagem liberada na Serra que liga Paraty a Cunha e na Serra do Piloto.

Fonte: ULTIMOSEGUNDO.IG.COM.BR