Mineradora é condenada por obrigar funcionário a ficar seminu em revista

TRT MG entendeu que houve constrangimento ao funcionário ALEXANDRE GUZANSHE TRT-MG entendeu que houve constrangimento ao funcionário

O Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) condenou uma mineradora a pagar R$ 3 mil de indenização a um funcionário obrigado a ficar apenas de cueca para revista diária. Em depoimento à Justiça, a vítima afirmou que o abuso acontecia pelo menos três vezes ao dia.

No processo, o ex-funcionário informou que as revistas aconteciam nas entradas e saídas dos trabalhadores. Ele ressaltou ser obrigado a ficar seminu na frente de outros empregados da mineradora.

A juíza Elen Cristina Barbosa Senem Morais, da 1ª Vara do Trabalho de Itatiba, responsável pela investigação em primeira instância, ponderou que a revista não é ilegal quando não há constrangimento aos funcionários . A condenação da empresa se concretizou após uma testemunha confirmar as declarações da vítima.

Aos juízes, a empresa informou que o processo de revista é necessário devido ao alto valor de mercado das pedras extraídas da mina. A mineradora ressaltou não haver constrangimento aos funcionários durante o processo.

A condenação ainda cabe recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ) .

Fonte: ECONOMIA.IG.COM.BR